[31.08.2017] Pré-banca interna

No último encontro que antecede o retorno às ocupações, foi feita uma pré banca interna para que cada grupo apresentasse suas propostas, antes de levá-las para as ocupações. Em geral, os grupos apresentaram desenhos esquemáticas, referências de obras análogas, planilha de orçamentos e suas respectivas diretrizes de projeto. Dentre as apresentações, tem-se : – Grupo 1: parte de um projeto que envolve a criação de novos espaços e a potencialização dos usos e demandas mapeados nas dinâmicas com os moradores. Foram pontuadas algumas alterações no layout interno do ônibus, que conta com a retirada de cadeiras e a proposição de espaços multiusos conectados a diversas atividades , como leitura, encontros, reuniões, culinária. O projeto apresenta estrutura de suporte, como o toldo, que permitem extrapolar os limites físicos criados pelo ônibus ao mesmo tempo que cria dois ambientes de interação: a parte interna, ligado, principalmente, ao layout, e a parte externa, ligada às questões de visibilidades, relação com o entorno, aproveitamento do terreno e outros. Quanto a identidade visual, o grupo pretende desenvolver algumas dinâmicas e jogos a fim de envolver os moradores nas decisões. – Grupo 2: com uma proposta que prioriza a mobilidade do ônibus, o grupo apresentou estudos de obras análogas para o mobiliário, contenção do terreno, cozinhas móveis, estruturas de toldos, compartimentos térmicos, projeto hidráulico e elétrico além de iluminação e outros. Pensando em manter a funcionalidade do ônibus, o grupo propôs poucas alterações no layout interno a medida em que concentra as atividades dentro dos terrenos. A ideia é flexibilizar os usos e propor atividades que sejam independentes da estrutura do ônibus, o qual poderá...

[28.08.2017] Diretrizes de Projeto + Arrecadação de recursos

Nesta semana, teve início a campanha de arrecadação de verba para a realização dos mutirões, denominada como “ocupaBus”, com a venda de lanches. Dentre as estratégias de marketing e da criação da identidade visual, os alunos produziram flyers e se posicionaram em pontos e horários estratégicos, com maior visibilidade e movimento. Aliado à campanha segue o processo de desenvolvimento dos estudos das propostas por meio de orientações coletivas, com o intuito de incentivar a troca de conhecimento e o compartilhamento de informações entre os alunos. Neste encontro, cada grupo fez uma breve apresentação da suas ideias iniciais e diretrizes de projeto a serem seguidas. Após as apresentações foram feitas algumas considerações gerais a respeito das negociações a partir de articulações com o movimento jovem do MLB, o Minha Quebrada, a própria Vina, empresa que doou o ônibus, e que se colocou à disposição para auxiliar no que for possível, além das possíveis interlocuções com outros alunos e disciplinas da UFMG, como a turma do Design envolvidos na produção de móveis e equipamentos de sinalização. Associado a esse processo também está a busca por materiais recicláveis, ou que podem ser doados ou negociados dentro de oficinas, lojas e...

[24.08.2017] Balanços + Estudos das Propostas

Após a dinâmica na Paulo Freire, os alunos se reuniram em sala de aula para fazer um balanço sobre a conversa, em que foram apontados os seguintes itens: maior articulação entre os grupos: as modificações feitas nos instrumentos de diálogo com base nas discussões em sala e no balanço sobre a primeira dinâmica, demonstraram resultados positivos, a medida em que foi perceptível a existência de uma maior articulação entre os grupos e os diferentes instrumentos de diálogos produzidos e re-adaptados às novas discussões. o uso do mapa do território potencializou a conversa: as modificações feitas no mapa também apresentaram resultados positivos. O uso das marcações, junto a produção de novos ícones, articulados às perguntas disparadoras, conseguiram cumprir a proposta de guiar uma conversa mais fluida e natural. Ao longo da conversa os próprio moradores se sentiram à vontade para fazer anotações e marcações no mapa e nas maquetes. mapeamento de habilidades: a partir das conversas propostas pela dinâmica e do diálogo com os moradores, foi possível fazer o mapeamento das habilidades presentes no território imediato e do entorno. articulação entre as comunidades: dentro desta dinâmica também ficou clara a demanda por uma maior articulação entre as ocupações. Nesse sentido, o ônibus foi apontado como um possível fio condutor no processo de fortalecimento das relações existentes e criadas. A partir desse balanço da dinâmica que colocou a prova as modificações e readaptações feitas nos instrumentos de diálogos, foi traçado uma paralelo com as propostas e resultados da primeira dinâmica, na Eliana Silva. Essas discussões foram essenciais para avançar no processo e dar início a etapa de desenvolvimento dos estudos das...

[21.08.2017] Dinâmica na Paulo Freire

A dinâmica foi realizada na ocupação Paulo Freire com a presença dos moradores e coordenadores do MLB. A conversa teve como base o mapa e a maquete das ocupações do Barreiro, produzidas e readaptadas. No mapa foram marcadas as ruas, o terreno em estudo, as ocupações, os cursos d’água, os equipamentos, as empresas e instituições do entorno. A partir do jogo, com a proposição de ícones associados a perguntas disparadoras, foi possível somar novas informações, marcos e referências ao mapa, carregados de impressões e percepções dos moradores das ocupações. Dentro dessa dinâmica também foi possível mapear novos e importantes contatos e parcerias internas à Paulo Freire, como pedreiros, construtor civil, estofador (com experiência em automóveis) e serralheiro. A  proposta do ônibus doado ao MLB foi bem recebida pelos moradores, que demonstraram interesse tanto pela ideia do ônibus como forma de locomoção pela cidade e acesso a cultura, teatro, lazer e às manifestações políticas, quanto pela possibilidade de pensar o ônibus para além da sua estrutura, o que foi vital para as discussões propostas pelas referências ao longo da conversa. Com os grupos articulados de forma mais coesa, foi interessante experimentar os efeitos positivos das interlocuções entre as referências, o jogo e a maquete do ônibus por exemplo. A inserção de novos elementos à maquete, como cabideiros, referências de móveis como caixotes de madeira reciclável e, principalmente, a ideia dos assentos presos por velcro,  possibilitou e instigou a proposição de novos layouts e desenhos para a parte interna do ônibus. Nesse contexto, também, foi possível pensar em novas intervenções a partir de elementos acopláveis a estrutura, como toldo, placas de...

[17.08.2017] Balanço de atividades e novas estratégias

A partir do encontro na Eliana Silva, foi feito um balanço das discussões e do processo a fim de refletir sobre a conversa e reavaliar, principalmente, os dispositivos de diálogos produzidos pelos grupos, para preparar as atividades da outra dinâmica a ser realizada na ocupação Paulo Freire. Para isso, foram organizadas três novas frentes, com a finalidade de intensificar a articulação entre os grupos: (Frente 1) Organização da dinâmica Paulo Freire: responsável por potencializar os instrumentos de diálogos produzidos, a fim de re-adaptá-los às novas discussões, levando em conta as considerações feitas no balanço dos alunos. (Frete 2) Perguntas Disparadoras: responsável por testar a hipótese de propor uma conversa baseada em “perguntas disparadoras”, claras e mais objetivas, que englobam as fragilidades e potencialidades do território.     (Frente 3) Reconhecimento das parcerias : responsável por mapear diretamente no território as habilidades e atividades existentes a fim de propor parcerias e trocas de saberes e materiais dentro das ocupações; além das possíveis parcerias com as empresas, instituições e equipamentos presentes no entorno...

[10.08.2017] 1ª Dinâmica na Eliana Silva

A primeira conversa entre alunos, moradores e coordenadores envolvidos na proposta do PFlex, ocorreu no dia 10/08/2017 em frente a biblioteca da Eliana Silva. O encontro foi organizado para discutir as propostas para o ônibus e o terreno, por meio dos dispositivos desenvolvidos pelos alunos. A dinâmica teve início com discussões para reconhecer o espaço destinado às intervenções para além das suas características naturais e dimensões físicas. Para isso, foi produzido ícones com as temáticas (1.) Grupos, encontros, eventos e oficinas, (2.) Habilidades e materiais disponíveis e (3.) Lugares e relações econômicas e de troca, os quais seriam dispostos na maquete do terreno. Segundo os moradores e coordenadores da ocupação Eliana Silva, a ideia era construir no terreno um espaço multiuso destinado a reuniões, festas, e até mesmo uma sede do MLB. Por falta de verba, não foi possível avançar com o projeto e em contrapartida, o terreno se configurou como um grande espaço de passagem, devido a sua conexão direta entre av. Che Guevara e av. Perimetral. Dentro deste contexto, surge a ideia de usar a estrutura do ônibus como um elemento de experimentação e experimentar inúmeras possibilidades: ônibus-praça, ônibus-feira, entre outras exemplos de repertório levantados pelo grupo dos jogos. A partir destas referências novas ideias foram surgindo, dentre elas a de um bazar itinerante. Segundo os moradores, as ocupações recebem muitas doações de roupas e acessórias pessoais, e regularmente são feitos bazares externos a ocupação a fim de arrecadar fundos. Um dos pontos-chave da discussão foi a própria funcionalidade do ônibus. Ao longo da dinâmica foi possível perceber que a ideia do ônibus como meio transporte pela...

[07.08.2017] Desenvolvimento de jogos, maquetes e mapas

A visita foi o ponto de partida para, na segunda aula, iniciarem as discussões sobre a elaboração dos dispositivos de dialógicos a serem utilizados na reunião marcada com coordenação e moradores para o dia 10/08/2017. Para se elaborar os diferentes dispositivos, a turma foi dividida inicialmente em quatro grupos: Grupo 1: elaboração da maquete e de uma malha qualificada do terreno da Eliana Silva, a partir de atributos físicos e sensoriais mapeados pelos alunos na visita ao local; Grupo 2:  elaboração do mapa do entorno e identificação de equipamentos públicos e coletivos da região; Grupo 3: elaboração da maquete do ônibus doado; Grupo 4:  construção de jogos, articulados com os mapas e maquetes elaboradas pelos demais grupos, que provoquem discussões sobre os  temas: relações dos moradores da ocupação com os moradores do entorno, demandas existentes, habilidades técnicas e recursos disponíveis na ocupação, estrutura e organização do MLB e sua articulação a cidade, etc. Além disso, pretende-se que a partir de um dos jogos construídos seja feita a ampliação do repertório de possibilidades para o ônibus e para o espaço a ser criado com a sua implantação no terreno. Os alunos tiveram a liberdade de escolher o grupo de acordo com seus interesses e afinidades com o tema; a construção dos instrumentos foi pensada a partir dos recursos disponíveis e das formas de representação que os estudantes acreditaram proporcionar maior diálogo e interação. Dessa forma, os dispositivos elaborados se deram da seguinte forma: Grupo 1:  uso de recursos como papelão, e madeirite, disponíveis dentro da própria Escola de Arquitetura e Design. Para poder se pensar na topografia do terreno, optou-se...

[05.08.2017] Visita à Eliana Silva

A primeira visita à Ocupação Eliana Silva ocorreu sábado à tarde, no dia 05.08.17. A partir desse contato direto com o local e com o terreno, alguns pontos importantes foram levantados, tais como: 1) declividade do terreno; 2) existência da estrutura de dois banheiros que atualmente estão subutilizados; 3)  visibilidade e  potencial do terreno de articular a ocupação com bairro vizinho, tendo em vista  seus duplos limites: Av. Che Guevara, interna à ocupação, e Av. Perimetral, externa à ocupação; 4) dificuldades de manobras do ônibus no terreno. Nessa mesma visita ainda foi feito o levantamento fotográfico e topográfico do...

[03.08.2017] prj081: Aula Inaugural

Como ponto de partida para a disciplina, foi feita uma breve contextualização do conteúdo a ser ministrado ao longo das aulas que teve como pontos chave as seguintes observações: 1)A responsabilidade da parceria academia+comunidade; 2) A diferença do tempo acadêmico e do tempo das ocupações; 3) A disciplina como proposta/ação e não apenas projeto; 4) Ter como ponto de partida a compreensão do cotidiano que envolve aquele comunidade; 5) A doação do ônibus implica em pensar em um espaço que funcione com ou sem a presença do ônibus, que é operacional. Complementar a essa primeira aula, será realizada uma visita dos alunos às Ocupações do Barreiro para serem realizadas as medições do terreno e reconhecimento do entorno imediato. Esta será vital para a elaboração dos dispositivos de dialógicos que serão utilizados ao longo do...