prj 081

A disciplina PRJ081 trata-se de uma disciplina de PFlex do curso de Arquitetura e Urbanismo da UFMG, ministrada pela professora Marcela Silviano Brandão Lopes (coordenadora do grupo Indisciplinar).

No primeiro bimestre do semestre 2016/1, a disciplina, sob o nome Parque das Ocupações do Barreiro, teve como objetivo aproximar questões que envolvem a luta pela moradia das pautas que regem a luta pela preservação do meio ambiente. O contexto foi de que diante da constatação de que há semelhanças entre essas pautas, a disciplina se propôs a elaboração de propostas de transformação de uma área de preservação ambiental existente na região do Barreiro em um parque. O equipamento urbano deveria ser articulado tanto com as ocupações vizinhas, como com todo o bairro, promovendo o usufruto coletivo do verde existente ali e o cuidado compartilhado necessário à sua manutenção. Pretendia-se que as propostas desenvolvidas sejam estendidas às ocupações, por meio de diretrizes de urbanização que também foram desenvolvidas ao longo da disciplina. Esse módulo da disciplina já foi encerrado, tendo os desdobramentos levados adiante na extensão, pelas frentes Natureza Urbana e Artesanias do Comum.

Já no primeiro bimestre de 2016/2, a disciplina ocorreu sob o nome “Arquitetura Desobediente“, continuando na mesma lógica de desenvolvimento projetual do semestre anterior, entretanto incorporando a prática construtiva nas atividades. Dessa forma os alunos tiveram que elaborar propostas condizentes com a realidade de recursos e habilidades disponíveis. Nesse bimestre, a disciplina foi desenvolvida em articulação com as demandas a serem identificadas/construídas no Centro de Referência da mulher Tina Martins. Dessa maneira, fez-se necessário a elaboração de uma cartografia colaborativa com os moradores/agentes desses espaços, que deve incorporar também o mapeamento de soluções advindas dos saberes cotidianos, engendradas no saber-fazer, que, apesar de não obedecerem rigorosamente aos manuais científicos, se apresentam como soluções engenhosas, com uso de pouco recurso material e de baixo custo de execução (artesanias construtivas e urbanas). Esperava-se que as propostas desenvolvidas sejam desenhadas e também construídas pelos alunos, em parceria com os demais envolvidas no processo. Módulo encerrado.

No ano seguinte, no segundo bimestre do semestre 2017/1, a disciplina continua sob o nome “Arquitetura Desobediente“, seguindo a mesma estrutura do Pflex realizado no semestre anterior. Os grupos com os quais os alunos trabalharam foram os Índígenas Urbanos e as lideranças femininas da Ocupação Rosa Leão. Módulo já encerrado.

Neste primeiro bimestre de 2017/2, a disciplina encontra-se em andamento, com a proposta de reformar um ônibus doado ao MLB (Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas), que poderá servir tanto para mobilidade, como de suporte para realização de atividades mapeadas e discutidas entre alunos, moradores e coordenadores das ocupações Eliana Silva e Paulo Freire, no Barreiro.